domingo, abril 29, 2007

SE TU ME DEIXASSES...




Hoje, acenderia estrelas entre a tua pele e a minha. Derramaria nos teus lábios toda a ternura que te pertence. Libertaria as pombas azuis do lago das tuas memórias e voaria, eu, em ti. Traçaria com a minha língua o mapa húmido da rota dos navegantes que ousam e não temem as marés vivas. E diria às tuas asas que voar é possível e que o caminho é ascendente, em espiral, em murmúrios salgados e confluentes...



Se tu me deixasses...


Ni*

8 comentários:

ferreira disse...

Que bonito...«E diria às tuas asas que voar é possível ...»será mesmo ?:)

Cleopatra disse...

Não lhe peças... se não te pede
Não merece não lhe dês.
Não sonhes se não tens ombro que mereça ser o local para dormir o teu sonho..
Se... é uma palavra sem luz no meio da paixão...

JM Coutinho Ribeiro disse...

Clap, clap, clap :-)

Amaral disse...

O meu comentário deveria ser sem palavras!
Se fosse possível, reconstruía o universo e daria a cada estrela apenas o teu nome!...

Rui @t Blog disse...

"Hoje, acenderia estrelas entre a tua pele e a minha. Derramaria nos teus lábios toda a ternura que te pertence. Libertaria as pombas azuis do lago das tuas memórias e voaria, eu, em ti. ..."

É difícil escrever-se melhor.
Parabéns.

Angel_Ariel disse...

Eu que até hoje, confesso, entendia situar-me num patamar rico na percepção e comunicação das palavras, sinto neste momento quão pobre sou.
Da leitura deste poema, unicamente consigo balbuciar….
“Feliz o destinatário desta mensagem… “

Apache disse...

Que escrita Ni! Tanta chama nas tuas palavras...

E os textos para ler e deitar fora, arrumam-se tão bem num cantinho de nós...

Ni disse...

A todos os que sentiram a minha escrita... um abraço e um sorriso.
Obrigada.