terça-feira, abril 03, 2007

E O CÉU FICA MAIS PERTO





Impetuoso, o teu corpo é como um rio
onde o meu se perde.
Se escuto, só oiço o teu rumor.
De mim, nem o sinal mais breve.
Imagem dos gestos que tracei,
irrompe puro e completo.
Por isso, rio foi o nome que lhe dei.
E nele o céu fica mais perto.

Eugénio de Andrade in 'As mãos e os frutos', 1948


3 comentários:

Rui @t Blog disse...

Eugénio de Andrade é sem dúvida, uma das referências mais elevadas da poesia portuguesa.... e talvez não só.
Boa escolha...

ferreira disse...

Muito bonito o Poema...
Na primeira das fotos, lindas, pareceu-me vislumbrar um coelho da Pascoa...
Desejos de Boa Pascoa , Ni.

Maria disse...

Belíssimo este poema, de um livro que eu tenho já lido e relido, e novamente lido...
... Eugénio de Andrade, sempre...

Um beijo, Ni