quinta-feira, janeiro 18, 2007

RENÚNCIAS



Esta imagem , desde que há uns anos me chegou por email, nunca me deixa indiferente, sempre que a revisito.

...

Já escrevi textos poéticos (?) como resultado desse impacto... como se uma memória se activasse.

Asas que se desejam, que se transportam, que se aspiram ou se protegem.

E sempre... a liberdade de escolher: de se libertar delas, ou de as quebrar, ou de delas prescindir, ou a elas renunciar.

Ser mulher, apenas. Quando o 'apenas' nunca o é.

Do pedestal, da fuga, das nuvens de fogo no horizonte próximo, das asas quebradas, exala o odor dos mitos, das trocas, das renúncias de um bem por outro...

...que se acreditou maior?!

...

3 comentários:

Maria disse...

Libertação?

Boa noite

Ni disse...

Maria:

Talvez, Maria.
Há dor na libertação?
Não...
...
Creio que é renúncia. Pura.

Não acto de cobardia, nem de medo do espelho anunciado...

Talvez, mas só talvez, inversão de passos no caminho já interiormente trilhado... e um último olhar ao que ficará apenas em vontade desenhado...

Boa noite.
Abraço de sal para ti

Ni*

jaque macedo disse...

às vezes a Alma larga o corpo...
e então..
retorna...
Rumi

No amor,

Jaque