sábado, outubro 06, 2007

RECADO II



Tenho ternuras escondidas nos dedos.
Tenho anjos que espreitam através dos meus olhos.
Tenho sorrisos que não se apagarão,
nem por ti...


Porque já não me importo,
amor,
que não sejas o meu amor.
Porque já não me importo,
amor,
que o vento não me abrace com o teu nome.

...

Renasci.
Sem ti.


Ni*



17 comentários:

luar perdido disse...

Ni, nunca percas a ternura, os sonhos,o sorriso por ninguém, mesmo que o amor seja só uma brisa longinqua e ja não te envolva.
Sê apenas e só TU, MULHER, basta.

Beijo imenso

Célio Soares disse...

Ni, como sempre a sensibilidade das tuas palavras flutua ao ritmo do ondular de teus pensamentos profundos. Não é por acaso que alguém dizia "Que os olhos são as janelas da alma"... porque tua alma é imensa, do tamanho dessa tua força interior, que trespassa paixões, amores e desamores...
É essa força tenaz, que nos faz e te faz renascer dia a dia, por entre os destroços da vida.
Continua abraçando a vida, num abraço de ternura.
O meu abraço

Maria disse...

Tens aqui um poema muito belo... que me tocou profundamente...
... e eu fico tão feliz, por ti... por teres renascido...

Abraço-TE

Ni disse...

LUAR:

Sorrio-te.
Não, amiga... não perco nem a ternura, nem os sonhos, nem os sorrisos por ninguém. Quando muito... reencontrá-los-ei na plenitude por/para/com alguém.... um dia. (Já é um progresso, em mim, admitir esta hipótese!). Por enquanto... faço-o por mim mesma.
Porque a vida... é bonita, é bonita e é bonita!

Beijinho enluarado

Ni disse...

CÉLIO:

A VIDA é o bem mais precioso que temos. Festejo-a todos os dias! Sorriso.

Claro que há tempestades, ventos e marés... e fases de luas minguantes... desamores, desafectos. Tatuagens. Mas... somos a soma de todas as vivências! Como as canas de bambu, sabes? O vento quase as derruba, mas não partem... permitem-se quase tocar o chão e a seguir retomam a verticalidade.

Abraço a vida, sim.
E, por vezes, descalço-me e danço sobre as linhas da escrita... louvando até a chuva... e o vento. Gosto do vento.

Sorriso.

Abraço de vento, o meu.

Ni disse...

Doce MARIA:

Porque será que gosto tanto de ti?
Sorriso.
...
Tu entendes-me tão bem...

Abraço de maresia e sal nos cabelos... e o olhar não perdido, encontrado, na ilha... na linha do horizonte, onde todos os sonhos nos chamam...
(Sei que entendeste!)

Gosto-te!

Rui @t Blog disse...

Empresta-me esse poema e com ele decore o que sinto neste momento.

Ni disse...

RUI:

É teu. É de quem ousa renascer e continuar. É de quem nada nega, face ao passado... esse 'lugar' que se quer arrumado, arejado... e onde já não há espaço para se estar. É de quem olha para a frente 'de frente'. É que quem assume medos, mas os enfrenta. É de quem sabe que só o AGORA é real.
...

Abraço amigo.

serenidade disse...

Ni,

somos unos no Todo, Há que renascer na unicidade desse mesmo todo.

Há que renascer a cada instante, a cada segundo, mesmo que a tempestade paire...

Serenos sorrisos

Um Momento disse...

Sorrindo...
Com carinho, ternura
Por renasceres...
Por Lindos Anjos que teus olhos espreitam...
Deixo um cesto cheio de miminhos que tenho lá no meu cantinho...um em especial , embora te oa oferte a todos
De coração, te ofereço com muito carinho e Amizade" Luz da Vida"
Ni...Grata por tudo
Um beijo sentido e sorridente ...em Ti
Mi*
(*)

Ni disse...

SERENIDADE:

Linda, a palavra serena... idade!
...

Concordo contigo...
Somos Unidade e não metade! Unos com o TODO e no TODO. Parte ínfima, porém indispensável para que o TODO... o seja.

O Renascer é inerente à própria vida...
E sim, renascemos momento a momento, em cada pulsação, em cada inspiração, em cada pensamento... em cada palavra, em cada acção.

Por vezes temos a ilusão de não termos nascido sós... porque uma parte do percurso é partilhada com alguém que escolhemos e que nos escolheu. Mas é apenas por um brevíssimo instante (um momentUM) porque o caminho pessoal é feito individualmente. Ainda que se cruzem linhas da vida, nas mãos que se dão...

...

Gostei bastante do teor do teu comentário... e fui espreitar o teu blog (a porta estava entreaberta... sorriso).
É daqueles blogs onde nos sentimos 'em solo-mãe'...
Já está nos meus favoritos.

Obrigada por seres!


Sorriso.

Ni disse...

UM MOMENTO:

Sabes... sorrio pelos traços que se cruzam: MomentUS... um momento... Ni... Mi. :)

Tu és um mimo! Ternurinha em forma de mulher...

Renascer... é necessário que o façamos, doce MI! A vida é um 'ETERNUM' renascer... no Hoje, no AGORA, no Presente.
E creio que tu também o sabes! ;)

Beijinho

MIMO-TE disse...

Ni,
Há algum tempo que não vinha ao teu cantinho, noto diferenças e fico feliz. renascida, é mesmo assim que te sinto, que bom! Que bom voltar aqui nesta altura, voltarei.

Beijos com muitos mimos

Ni disse...

MIMO-TE:

Gosto de mimos. Sorriso.
Renascida... sim, apesar da transmutação ser 'por dentro', apenas. É algo que a idade nos oferece... (ainda bem que não são apenas aspectos negativos!)... fazer a alquimia, a renovação, do modo como nos encaramos e aos outros. «Mudar (melhorar) o que pode ser mudado (melhorado). Aceitar o que não o pode ser. E saber... distinguir os dois»...

Mimos para ti, num abraço de vento, o meu...

Cabral-Mendes disse...

Como é bom renascer e... partir para outros horizontes, não é verdade?

serenidade disse...

Ni,
obrigada pelo carinho

SILÊNCIO CULPADO disse...

Lindíssimo, simplesmente.