sexta-feira, janeiro 02, 2009

FÉ ~*~ ESPERANÇA ~*~ AMOR




josh groban you are loved (Dont give up) - Josh Groban

9 comentários:

Alberto Campos disse...

S.Paulo!
O mais belo dos textos escritos sobre o mistério do amor.
Se ao menos se soubesse...Se ao menos nos humanos olhos fosse possivel!

Ni disse...

ALBERTO CAMPOS:

É, de facto, um dos mais belos textos sobre o AMOR!

«Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, sou como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine. Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência; mesmo que tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver amor, não sou nada. Ainda que eu distribuísse todos os meus bens em sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tiver amor, de nada valeria.

O amor é paciente, o amor é bondoso. Não tem inveja. O amor não é orgulhoso. Não é arrogante. Nem escandaloso. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor. Não se alegra com a injustiça, mas rejubila-se com a verdade. Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

O amor jamais acabará. As profecias desaparecerão, o dom das línguas cessará, o dom da ciência findará. A nossa ciência é parcial, a nossa profecia é imperfeita. Quando chegar o que é perfeito, o imperfeito desaparecerá. Quando eu era criança, falava como criança, pensava como criança, raciocinava como criança. Desde que me tornei homem, eliminei as coisas de criança. Hoje vemos como num espelho, confusamente; mas então veremos face a face. Hoje conheço em parte mas então conhecerei totalmente, como eu sou conhecido.

Por ora subsistem a fé, a esperança, e o amor, os três. A maior delas, porém , é o amor.»



Carta de S. Paulo aos Coríntios 1-13



MARAVILHOSA, esta Carta aos Coríntios!
Mas somos imperfeitos... tão imperfeitos... para aplicar às nossas vidas algo como 'Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.'

Anónimo disse...

Ni*
A reciprocidade é em todas as relações que envolvem afectos peça fundamental.
João Miguel

OUTONO disse...

...não pode ser....NI!

Esta canção foi o meu grito nos últimos tempos de 2008...e continuará a ser um hino de esperança neste 2009...Confio!

Beijo.

Ni disse...

JOÃO MIGUEL:

É, sim. O afecto deveria ser um diálogo e não um monólogo... e mesmo nos momentos de silêncio, até esse silêncio seria sorriso... a pausa tão necessária na música... o partilhar de um sentir, onde as palavras são adivinhadas...

'Deveria'...

É... deveria.

Ni disse...

OUTONO:

Esta canção acompanhou-me em 2008... e, creio que me marcou tanto, que é uma das minhas canções de força. Ouvi-la em Montserrat... ao anoitecer... foi uma sensação de plenitude. Ouvi-la, em plena noite... também em Montserrat... no centro do círculo (rosácea entre portais...) e elevar o olhar para as estrelas que pareciam tão, mas tão perto... foi... comunicar com a minha verdade maior. Ouvi-la, em Montserrat, ao alvorecer... acima das nuvens, com pássaros que cruzavam num voo renovado as cores que surgiam no céu... entre as arcadas... não sei definir, para além de alegria plena e a certeza... de que 'desistir nunca'... porque todos somos amados. :)

(Não sei se o que escrevi fez algum sentido para ti... mas... partilhei aqui, agora, momentos de um dos mais belos dias de 2008 para mim... em Agosto. Que haja muitos assim em 2009!)

Beijinho

Ni*

manzas disse...

“Reencarnação”

Foi em tempos… há muito tempo
Um tempo longínquo que já não sei…
Recordadas no momento de um pensamento
Pergaminhos da memória que furtei

http://pensamanzas.blogspot.com/

Uma boa semana com um abraço amigo…

Henrique Dória disse...

O amor é uma lepra

Henrique Dória disse...

Então esse Paulo que não amou ninguém! Só odiou, em particular as mulheres. A chamada CARTA AOS ROMANOS, se é que é dele, é uma indignidade na forma como bajulou Nero. Que o recompensou bem, mandando-o matar.