sábado, dezembro 08, 2007

NATAL



Há 5 anos, o meu filho Filipe (então com 10 anos) escreveu um texto de Natal que me emocionou...

O texto foi impresso e difundido via Cartão de Natal, acedendo a um pedido de um colega e amigo. Hoje partilho-o com vocês...


Frio No Coração


Numa rua de uma cidade grande, um homem andava devagar. Ninguém reparava nele, porque todas as pessoas corriam. Não corriam para abraçar alguém, não corriam para procurar o pássaro escondido na árvore, não!
Corriam , porque já não sabem viver de outra maneira.
Dormem a correr, comem a correr, trabalham a correr, amam a correr, e quanto mais correm menos tempo têm. Nunca chegam a lugar nenhum.
Há muito tempo que deixaram de olhar o sol, há muito tempo que não escutam a música do silêncio. Há muito tempo que não saboreiam um luar. Acham que isso é para poetas. Se assim é, eu quero ser poeta toda a vida!
E numa rua de uma cidade grande, aquele homem caminhava em sentido contrário à multidão. Andava devagar.
Não ía triste, não. Ele sorria.
Tinha dito não à vida de corrida.
Tinha compreendido que um abraço que se merece tem mais valor que carros, casa, roupas caras, festas com direito a reportagem nas revistas.
Aquele homem cansou-se de ter frio no coração.


Nesse dia, descobriu o que significa a palavra NATAL.
Não Andes Totalmente Ausente (da) LUZ.

E vocês?
Sentem frio no coração?
Segurem a minha mão!

Filipe Miguel
10 anos

____*____



Filipe (15 anos), Barcelona, Agosto 2007
(Amo-te, filho...)

14 comentários:

Nani disse...

Lindo...

Abraço no coração, sem pressas...

Catarina

luar perdido disse...

Ni, deixas-me sem palavras, ou melhor o teu Filipe. Belo texto, pelo coração o do teu menino, e como ele tem razão!!!!
Desculpa a ausencia, mas por vezes o cansaço fala mais alto, e a triteza tolhe mais os movimentos. Mas venho "depenicar" o teu bolo de afectos feito, porque Natal é tempo de partilha e de olhar para o que realmente importa; A VIDA, o AMOR, a AMIZADE, a PAZ.
Deixo um beijo tecido de raios de lua, e calor do sol, com perfumes de pinheiro e rosmaninho, para que nesse teu cantinho a magia desta quadra brilhe com mais força e intensidade.

cindy disse...

Olá!
Costumo ler este seu espaço, acho-o tão lindo, cheio de afecto, ternura, às vezes nostalgia, por vezes sinto-o como se fosse meu, porque penso de uma forma tão igual...
Ler este texto deixou-me tão emocionada.. e pensar que foi um menino de 10 anos apenas, que escreveu...sentiu...deixa-me mais emocionada ainda.
Obrigada por o ter partilhado.
Um grande bem haja a si ao seu filho, tão lindos por dentro e por fora! Este espaço realmente é de amor, afecto e tantos outros sentimentos... que adoro também sentir...
Um grande abraço e obrigada!
Um Bom Natal para todos vós... com o coração quentinho!

PS: posso lhe pedir a receita do bolo, têm um aspecto delicioso, adorava fazê-lo este Natal para os meus sobrinhos.

Ni disse...

NANI, LUAR E CINDY:

O meu obrigada pelo vosso carinho... pela presença neste meu (nosso) Natal.
Um abraço pleno de ternura... e o desejo de um maravilhoso fds!


CINDY:

Receita do 'BOLO DOS QUADRADINHOS' (muito antiga)...

A medida para açúcar e farinha é uma 'caneca', das que usamos para beber leite na infância... (eu ainda uso!)...sorriso... foi assim que aprendi..

Ingredientes:

6 ovos
1 pacote de manteiga (250 gramas)Primor, Ucal... de uma marca a gosto... com sal! (todos os bolos que levam uma pitada de sal... têm melhor sabor!)
1 caneca e meia de açúcar
1 caneca (bem cheia) de farinha tipo Branca de Neve com fermento
raspa do vidrado da casca de um limão grande
1 pacote de natas (na receita original era um copo de leite... mas eu adaptei)

Misturam-se as gemas com o açúcar até ficar uma massa amarelinha. - e boa... logo aqui começo a comer ;) - junta-se a raspa de limão e a manteiga amolecida, mas não totalmente derretida. Bate-se bem a massa, até incorporar a manteiga. Juntam-se as natas (ou o leite... como preferirem). Mexe-se bem. Junta-se a farinha. A seguir as claras em castelo... e envolvem-se na massa, sem bater.


(E NÃO prove esta massa de bolo antes de ir ao forno... o sabor é delicioso e viciante... corre o risco da tentação... e depois o bolo fica pequenino... hehehe... fala a experiência!)


Deita-se a mistura num tabuleiro quadrado e vai ao forno previamente aquecido (eu ligo o forno a 180º assim que começo a fazer o bolo). Ao colocar a massa no forno... baixar para 150º. E... esperar 30 minutos.

Quando estiver cozido... polvilha-se com açúcar e canela... e corta-se aos quadradinhos.

Espero que seja do agrado de todos... cá em casa é! Até a gatita gosta! :)

cindy disse...

Obrigada, Ni! Que receita e descri�o deliciosa!
Sorri e ri ao ler! vou j� guard�-la.
Abra�o emocionado!

Ni disse...

CINDY:

Sorriso.

(Esqueci-me de dizer que o tabuleiro é untado com manteiga e polvilhado com farinha...)

Abracinho!

Ainda crio um blog para partilhar as minhas receitas... :)

cindy disse...

Sorri-o!
Olhe que é uma ideia interessante o blog das receitas da Ni! Receitas acompanhadas de afecto, ternura, carinho, amor e ..., não deve existir nenhum, pois não?...:)
Bom fim de semana!

Maria disse...

Lindo pensar que uma criança de 10 anos escreve
"E vocês?
Sentem frio no coração?
Segurem a minha mão!"
É lindo, Ni...

Já tive frio no coração, já não tenho mais....
Um sorriso para o Filipe,
Um abraço para ti...

cindy disse...

ha! agora é que vi bem, sorrio esta mal escrito, pode fazer-me o favor de emendar! se for possivel! Obrigada! acho que fica ali mal um erro tão evidente.
( para quem não costuma comentar, este e o meu terceiro) :),.
Fique bem.

Nani disse...

Nina...

Acho que vou aproveitar a receita e iniciar-me nos dotes culinários! Já que ninguém me deu uma fatiazita de bolo!

Depois mostro os resultados...isto é...se houver resultados! Se ficar bom...segunda-feira levo uma fatia pode ser?!? hihi

***

Em relação ao post...é lindíssimo o texto escrito, ainda mais por uma PESSOA de 10 anos... é lindíssimo o amor demonstrado de mãe para filho...

(E o filipe também é lindíssimo - aplica-se a expressão "filho de peixe..." tanto na beleza interior como exterior...

Abraço para os três...

Catarina

Pedro disse...

Nina

Quando li este texto do seu Filho, pensei para mim: de facto, a genética, a hereditariedade, a educação, o exemplo, são a forma (ler "fôrma", como a de bolos) de que somos feitos. E o comentário anterior "roubou-me" a expressão popular do "filho de peixe..." que nada tão bem quanto a Mãe. Parabéns pelo(s) Filho(s) que tem, com, tão novinho, tão apurada sensibilidade. Havemos de ouvir falar nele...

Cabral-Mendes disse...

"Há muito tempo que deixaram de olhar o sol, há muito tempo que não escutam a música do silêncio. Há muito tempo que não saboreiam um luar. Acham que isso é para poetas. Se assim é, eu quero ser poeta toda a vida!" Poderia ser Fernando Pessoa a escrever tal texto...

Belo texto sem dúvida! Apenas com 10 anos!... Deve ser a veia poética maternal...

Rui @t Blog disse...

Parabéns:
- Ao Filipe;
- à Mãe do Filipe;

e ao Homem que caminhava de vagar.

Cleopatra disse...

"Dormem a correr, comem a correr, trabalham a correr, amam a correr, e quanto mais correm menos tempo têm. Nunca chegam a lugar nenhum.
Há muito tempo que deixaram de olhar o sol, há muito tempo que não escutam a música do silêncio. Há muito tempo que não saboreiam um luar. Acham que isso é para poetas. Se assim é, eu quero ser poeta toda a vida!"

Beijo Filipe. É por isso que eu, também quero ser poeta.