terça-feira, fevereiro 10, 2009

(*) SE TU ME DEIXASSES...

(*) Post antigo recuperado

Hoje, acenderia estrelas entre a tua pele e a minha. Derramaria nos teus lábios toda a ternura que te pertence. Libertaria as pombas azuis do lago das tuas memórias e voaria, eu, em ti. Traçaria com a minha língua o mapa húmido da rota dos navegantes que ousam e não temem as marés vivas. E diria às tuas asas que voar é possível e que o caminho é ascendente, em espiral, em murmúrios salgados e confluentes...

Se tu me deixasses...



Ni*





(Leitura minha)



14 comentários:

Excelsior disse...

...

(...este texto...)

...

...Estas... são Palavras... que se nos fossem ditas pela pessoa amada... teriam o poder de voltar a dar forças e voo, a asas cansadas... brilho, a olhos mortiços... calor, a uma alma esfriada. De associar acreditar, ao sentimento Amar...

Forma melodiosa esta, de esvoaçar Palavras... que essencialmente nos diriam... "estou e estarei aqui. Mão dada, contigo... para ti..."

...

É.

Teriam...

...

Escreves bem demais, Ni.

Anónimo disse...

Sempre me pergunto quando leio as tuas coisas,se haverá algém assim.
Se a linguagem poética e tão delicada, embora reconfortante e quente, tem um suporte humano correspondente.
Será que algém não gostaria que estas palavras fossem para sí ?
Tenho medo de conhecer pessoalmente a Ni*. Ela não pode ser como eu a imagino.
Um beijo
João Miguel

Lúcia disse...

Com tão belas palavras, se fosse eu deixava-te...para que acendesses estrelas, derramasses ternura, libertasses pombas azuis.
E voltava, de certeza!-)
Lindo!

Maria disse...

Olha-o nos olhos. Dentro dos olhos.
.....
... e ele deixa. Porque o amor é (também) assim...

Um sorriso
e um beijo

Ni disse...

João Miguel:

É pena não poder (ou não saber como se faz...)utilizar aqui uma cor diferente para responder entrelaçada no teu comentário...

Mas... tentemos:

«Sempre me pergunto quando leio as tuas coisas,se haverá algém assim.»

- Sorrio. Sou bem real... e quem me conhece sabe que me sinto... pequenina... uma pessoa igual a tantas. Não sou 'especial'... sou... eu. Com a sensibilidade na ponta dos dedos e nos olhos... e na voz. E no sorriso ...-


«Se a linguagem poética e tão delicada, embora reconfortante e quente, tem um suporte humano correspondente.»

- Passam por aqui muitas pessoas que me conhecem bem... com quem estou diariamente. Talvez alguma te saiba responder... :) -


«Será que algém não gostaria que estas palavras fossem para sí ?»

- Há quem ache ridícula esta minha maneira de me exprimir... há quem considere a sensibilidade poética uma fraqueza ridícula.
Há sempre alguém que nos exalta em excesso... tal como há sempre alguém que nos faça sentir que o que damos/somos nada vale. -


«Tenho medo de conhecer pessoalmente a Ni*.»

- Sorriso... -

«Ela não pode ser como eu a imagino.»

- Imaginar como é alguém é criar esse alguém. É perigosa, a idealização. Sou uma pessoa simples... muito simples. Os meus amigos confirma-no. -

Abraço de vento

Ni*

Ni disse...

LÚCIA.

Fizeste-me sorrir... e gosto de sorrir. E de libertar pombas azuis nos afectos... e de ir de até à linha de luz no horizonte... e de dançar descalça sobre essa linha, onde os silêncios são ondulados... como uma memória de mar, ou de uma ilha-casa-mãe-embalo... asa.........^^

Beijinho

Ni*

Anónimo disse...

..."e voaria, eu, em tí" !!
Na tua normal modéstia dirás: foi a materialização de um momento ha muito sentido.
João Miguel

Claudia Sousa Dias disse...

muito belo, Ni!

gostei de te reencontrar.


um beijo


csd

Anónimo disse...

Ouvi a tua voz hoje pela primeira vez...
João Miguel

Quase nos 50 disse...

Adorei.
Sobretudo porque o partir acaba por ser inevitável.
Um abraço

Ni disse...

JOÃO MIGUEL:

«..."e voaria, eu, em tí" !!»
...

É uma hipótese, dependente do «se». E, apesar do texto começar com 'Hoje...'... o 'Hoje' pode situar-se em qualquer ponto na linha do tempo...

Voar em alguém...

...

São, apenas, emoções pintadas por palavras. Um textozinho na linha dos que fazem parte de «Cartas a um Amor Futuro...»

:)

Ni disse...

CLAÚDIA:

Sorriso enorme.
É sempre bom o reencontro, quando existe o bem querer...

Abraço sentido.

Ni disse...

JOÃO MIGUEL:

OOOppsss...

Voz rouquinha... que não está nas melhores condições...

(É melhor voltar a colocar música!)

Ni disse...

QUASE NOS 50:

É.
É...
É mesmo.
Nada permanece... tudo flui...