terça-feira, novembro 25, 2008

PEQUENAS INTIMIDADES...

Horas e horas seguidas de trabalho. Em excesso. Para além de...

A ele me entrego como numa busca de um abraço branco... dos que nos restituem a inocência de não sabermos a dor de pensar...

Noite fria. Chuva indecisa, a criar espelhos no chão...

O jantar, simples, num restaurante ao lado de casa...







O cansaço cala-me a voz, mas não esta eterna vontade de VIVER!



Respirar, de olhos fechados, a limpidez tranquila deste silêncio que sabe o meu nome de cor...




Em casa, o som enviado por uma aluna, toca(-me).


Hoje partilhei com os meus alunos música Barroca... terminei com Vivaldi. A Inês de Castro - sim, chama-se Inês e é uma Castro... como eu :) - disse que sentia vontade de dançar ao ouvir aquele som. Sorri. Desafiei: «Dança!». E ela dançou... (É mesmo uma Castro!) e reavivou em mim esta chama-paixão que é o ensino... a partilha de saberes, de momentos únicos.

E a noite continua... em direcção à madrugada, lendo e avaliando os trabalhos destes jovens que me ensinam o segredo da alegria simples.


Aqui. No meu refúgio...












19 comentários:

Maria disse...

Eterneço-me. Com as tuas palavras, abrindo mundos novos aos teus alunos. Incentivando-lhes o sonho. O acreditar. O aprender com eles e eles contigo.
Que bonito...

Deixo-te um lírio aí, no teu refúgio. Ao pé dos cactos. Pode ser que o lírio apazigue um pouco momentos mais difíceis...

E sopro-te um beijo

Ni disse...

MARIA:

Fazes-me bem, sabes?
...
Corro o risco de me repetir... mas gosto tanto de ti!!!
...
Gosto de Lírios... entrelaçados com tulipas amarelas :)

Obrigada pela palavra feita carinho...

Abraço dançado... com o embalo da amizade pura, simples... onde o afecto transborda em sorrisos.

(Um dia convido-te para assistires a uma aula... risos. É impossível não amar esta profissão! A generosidade dos jovens é ilimitada...)

Alberto Campos disse...

O mestre Sebastião da Gama disse ser o professor um irmão mais velho. Sabe coisas que os mais novos não sabem e está com eles disposto a aprender também, não só na sala como fora dela. Transmites a força de aprender e ensinar. Ines de Castro, nome de tragédia sublime da nossa estória, sentiu que em ti podia encontrar, não um Conde andeiro mas um "quase" Pedro. Parabens professora de espiritos, fiel depositária da Alma Druita.
Amas a cidade e a retratas com a calma aparente. São belas as fotos. A calma da urbe, com a paz do teu canto. Obrigado por partilhares connosco, a tua Essencia. Sorrio Dana...

INES DE CASTRO disse...

não consigo deixar de o dizer.
a professora faz-me bem , a sério que sim! quando penso : ' vou ter portugues um sorriso preenche o meu coração' sei que consigo nós podemos ser aquilo que realmente somos, adolescentes! sinto-me honrada pelo meu nome estar ai, e hoje na aula quando me leu isso, confesso que chorei no meu lugar porque gosto de si, como professora e como humana. a sério que sim.
(L)

ritz disse...

Mais uma vez, adoro as fotografias! E os seus quadros (os que não aparecem no blog de turma) também são lindíssimos...adoro o toque "pessoal" :D (sou suspeita...por mim as minhas paredes estavam todas cobertas de fotografias...mas não me deixam! :P)

Bjs!


(à espera que as "desavenças" do outro dia tenham ficado resolvidas...;))

Ni disse...

ALBERTO CAMPOS:

O grande objectivo da educação, para Sebastião da Gama, é a felicidade. Mas S.da Gama, ao procurar a felicidade para os outros, não faz mais do que procurar a sua. Esta é a verdade... e afirmo-o por experiência propria, pois sou feliz em aula! :)


"Janeiro, 11 [de 1949] - Para começar, o metodólogo falou connosco durante uma hora. De acordo com o que disse, vão ser as aulas de Português o que eu gosto que elas sejam: um pretexto para estar a conviver com os rapazes, alegremente e sinceramente. E dentro dessa convivência, como quem brinca ou como quem se lembra de uma coisa que sabe e que vem a propósito, ir ensinando. Depois, esta nota importantíssima: lembrar-se a gente de que deve aceitar os rapazes como rapazes: deixá-los ser: 'porque até o barulho é uma coisa agradável, quando é feito de boa-fé.'
Houve nesta conversa uma palavra para guardar tanto como as outras, mais que todas as outras: 'O que eu quero principalmente é que vivam felizes'."

Sebastião da Gama. Diário (1958

Ni disse...

INÊS DE CASTRO:

Uma das minhas meninas por aqui... :)

Inês, vou falar baixinho e contar-te um segredo...(até porque mais ninguém nos lê aqui... risos): desde o primeiro momento em que senti a tua alegria natural... a tua energia... o sorriso contagiante... eu soube, porque o senti, que seria muito bom ter-te como aluna... e que iria aprender imenso contigo.

Obrigada por seres como és...

«Gosto-te!»

Ni disse...

RITZ:

Outra das minhas meninas no meu blog!!! Ena!!! :)

Ritz... encontrar alguém que gosta das minhas fotografias é... raro! :)
Normalmente fotografo pormenores... que para mim são 'pormaiores'. É ver para além do olhar...

Em Salamanca tirei uma foto às pedras do chão... achei-as lindas, pelos passos que contêm... pelas vidas que sentiram. Estão polidas... e contam baixinho as solidões a que assistiram, os encontros e desencontros, as vitórias e os nãos. Até hoje, as pessoas a quem mostrei as fotos dessa viagem, ignoram essa foto... uma das que mais gosto. Posso mostrar-ta um dia destes? :)

Quadros... nada nos meus recantos é 'ao acaso'. Deu-me um especial prazer criar aqueles quadros... colocar a areia à frente da foto... e no outro as pedras. É como trazer para dentro de casa locais de que gosto e que me fazem bem. Tal como as plantas. Ou... aquela mistura de duas areias ... com uns frutos que parecem cactos... e que para mim simbolizam o deserto. Admiro o deserto. Muita gente o teme. Eu não. Sei que nele se encontram todos os silêncios... e que não há dois silêncios iguais.

Que desavenças?! Só exprimo a minha opinião quando GOSTO MUITO de alguém... e foi o que fiz. Isto aliado à minha natural impetuosidade...

Gosto de ti, sabes? Sentes? Gostaria muito que o sentisses. Há em ti um lago de afecto tão profundo e que tanta gente ainda não viu... a tua escrita deu-me o mapa até ti. Sei-te e gosto-te... (neologismos... lol)

ritz disse...

Venha então a fotografia! Eheh!

Pois, também sinto um bocado isso do gostar das fotos e ninguém perceber...ninguém perceber porque a maioria das fotos que mais gosto são as desfocadas...ou porque tirar fotografias a pequenos pormenores que supostamente não são relevantes...o que mais gosto da fotografia é o abstracto, o que dá para interpretar de tantas maneiras diferentes...

E concordo com o que a Inês disse. Acho que todos aprendem com a stôra mais do que a língua, aprendem outras dimensões muito maiores do ser...para além dos conhecimentos, a personalidade. E este ano ainda não ouvi ninguém dizer "Bolas! Aulas de Português!" (isto é bom, depois de um ano inteiro a dizer isso vezes sem conta...) :)

Bjs!*

Quase nos 50 disse...

Vivaldi......desperta-me sempre uma paz interior e tb me apetece dançar.
O nosso cantinho é o nosso refúgio, onde somos nós mesmos e ver o cantinho de alguém diz muito sobre essa pessoa.
Gostei do que vi e o cacto é o toque de vida, ao contrário do que se possa pensar.
Os espinhos são a sua defesa das agressões.
Um abraço

Alberto Campos disse...

"E concordo com o que a Inês disse. Acho que todos aprendem com a stôra mais do que a língua, aprendem outras dimensões muito maiores do ser...para além dos conhecimentos, a personalidade."
Se ao menos todos podessem sentir o mesmo! Será que esta frase pode contar para a avaliação de desempenho.
Gosto de admirar o silencio das fotos...Uma pergunta, porque as fotos tiradas todas de cima? Resposta, não são fotos, são o olhar das fadas que refletem uma alma.

Boa noite!

Shallom

Ni disse...

PARA TODOS QUE COMENTARAM ESTE POST:

Creio que estão a ser muito benévolos comigo! Demasiado benévolos...

Um abraço amigo.

Alberto Campos disse...

Ni disse...
PARA TODOS QUE COMENTARAM ESTE POST:

Creio que estão a ser muito benévolos comigo! Demasiado benévolos...

Um abraço amigo.

"A espantosa realidade das cousas
É a minha descoberta de todos os dias.
Cada cousa é o que é,
E é difícil explicar a alguém quanto isso me alegra,
E quanto isso me basta.
Basta existir para se ser completo."

Não é pois benevolencia!

Tem um bom dia e que o frio não te entre na alma

INÊS DE CASTRO disse...

Com a casa por arrumar, com os trabalhos de casa por fazer, com os email por responder, com fome, sede, vontade de rir e chorar ao mesmo tempo ... sinto necessidadede escrever aqui.
Sinto necessidade de escrever que maneira como me olha nas aulas me deixa com força mesmo quando não a tenho, e as pessoas pensam que sou a pessoa mais forte apenas por transparecer um sorriso. mas nem sempre é o que sinto. por vezes, só o mostro para puder levantar a tristeza dos outros. para poder dar coragem, para eles pensarem que com a minha força e a deles juntos, podemos ultrapassar todos os obstaculos e fazer deles puras montanhas, que de mãos dadas, podemos ultrapassar. não sei se faço bem , se faço mal.. a verdade é que faço. Não quero ter o mundo nas minhas mãos, mas quero Sal e Luz para os outros. poder mostrar que mesmo naquelas situações que não conseguimos ultrapassar sozinhos, temos Alguem que nos ajuda a ultrapassar.
E o sorriso? Esse parece-me a mim que tem que estar constantemente nos meus lábios. Fomos feitos para estar felizes e acima de tudo, fazer os outros felizes. ao escrever isto, as lágrimas correm porque sinto-me totalmente corroída cá dentro. e porque? não sei, provavelmente, não ando a dar o devido valor ás pessoas, ou então estou a dá-lo de forma errada e ás pessoas erradas. novas amizades? Sim. Verdadeiras? Não sei, estou a testá-las , mas acho que é muito importante termos novos amigos. talvez porque os que em tempos foram, nos magoaram de forma tremenda e nós não conseguimos mais olhar na cara deles. gosto demasiado de uma pessoa, que fez de mim a rainha do meu reino, e que me faz feliz. mas quero mais. quero distribuir abraços, beijos, afectos ás pessoas que nunca foram abraçadas e beijadas...! é importante deixar de pensarmos só em nós, ver o que os outros têm para nos dizer. sermos um só!
E, professora, quero dizer-lhe que, estou a disposta a fazê-la sorrir, mesmo quando a sua cara não transparece alegria, mesmo quando está tudo mal, e eu vejo isso, mesmo que eu esteja triste.. eu vou fazer com que se sinta amada pela nossa turma, porque as suas aulas parece que passam num estalar de dedos, e nós ali, estamos felizes, apesar do cansaço, da fome, da vontade de comer chocolate, e de dormir. mas vamos dar o nosso máximo para nunca a vermos com uma expressão triste. porque acredite, falo por mim, mas sei que todos eles sentem o mesmo, até os rapazes que estão sempre tão calados... gostamos muito de si! e não é 'graxa' .. é o puro do sentimento. porque como disse no último comentário , trata-nos como jovens que é aquilo que realmente somos. como, humanos que também somos e não como mera plateia de uma sala de aula.

11ºf

Amaral disse...

Basta ler todos estes comentários para nos sentirmos felizes!...
Como a Vida nos ensina!!!...

Alberto Campos disse...

Inês... Desculpa invadir este diálogo sagrado entre voces mas só queria "responsabilizar-te" pela onda de agua e sal que se esbateu no meu olhar. Parabens não pelo elogio a quem, saberás tu que não eu, infelizmente, se deves dar, mas pela coragem do afecto partilhado, desse abraço em palavras tão bem descrito.
Desculpa Mestre ter-me metido entre vos.

Ni disse...

...
E eu fico sem saber que vento levou as palavras... porque quando me comovo fico assim... com olhar líquido...

Obrigada.

Há gestos que valem tanto...

Ni disse...

Que ternura, Ni! Sem palavras...

Anónimo disse...

Creio que foi o sorriso,
O sorriso foi quem abriu a porta.
Era um sorriso com
muita luz
lá dentro, apetecia
entrar nele, tirar a roupa,
ficar
nu dentro daquele
sorriso.
Correr, navegar, morrer
naquele sorriso.

Eugénio de Andrade