domingo, junho 17, 2007

RESTA-ME O ECO DA TUA PELE



Como foi possível não cruzarmos as linhas das nossas mãos?
...
E eu desejo apenas ser concha, crisálida, criança adormecida...

... mais nada.

13 comentários:

**Arclight** disse...

amiga
sinto-m pleno na serenidade das tuas palavras
a foto é fabulosa
tb eu sonho em viver um conto de fadas com a minha cara metade
um simples sonho
mas com uma determinação e ambição para o resto da minha vida

beijo grande*********

Ni disse...

**Arclight**:

Caro amigo... fico feliz por algo que escrevi poder induzir a um estado de serenidade.
Agradeço-te por mo dizeres...

Quanto ao sonho com a tua 'metade de asa'.... que seja como o desejas e ainda mais... além do sempre, onde o tempo antes do tempo e o pós-tempo se cruzam, num momento a que chamo 'eterna idade'.... eternidade. Porque tudo aquilo em que acreditamos... É.

Sorrio-te.
Que a Felicidade seja o teu destino!

Abraço de brisa suave

Ni*

Maria disse...

E o eco da pele é tanto, Ni.......

Beijo

Ni disse...

Maria:

É... o eco de pele é imagem em espelho de tudo o que foi, é e será. Tatuagens que fizemos e que nos fizeram... arrepios que se activam com uma simples memória do sabor do sal da outra pele...

Feliz de quem sabe do que falo...

Abraço de mar, Maria...

Amaral disse...

Quando o som brota, doce, dos lábios duma criança de poucos meses, vislumbra-se a voz que quer anunciar o tesouro que transporta...
Depois... cruzam-se as linhas... bebem-se emoções... adormecem desejos... e permanece o eco... vibrando ainda...

Cleopatra disse...

As linhas das mãos estão cruzadas... Cruzadas apenas Ni.
Depois cada linha segue o seu destino...
Provavelmente não tinham de ser paralelas essas duas linhas.
Já pensaste nisso?

Ni disse...

Amaral:

O 'eco' acompanha-nos, como presença, como memória.
Talvez a presença seja exactamente essa memória de um determinado momento... porque tudo muda continuamente... e felizmente!

Ni disse...

Cleópatra:

Sim... há 'linhas' paralelas, há linhas que se cruzam... há linhas que parecem rotas traçadas a dois. Outras individuais. Assumidamente sós. Há linhas que nunca se tocam, nem se aproximam.... outras há que se desviam, como em fuga de si mesmas... (?)

... Todo o toque de pele, todo o encontro, contém já em si a despedida. Porque o caminho é individual. Embora.... certas pessoas nos façam ter a ilusão de que não nascemos sós. A ilusão, apenas.

João disse...

Olá princesa das palavras--concha aonde são guardados todos os ecos de amor, um beijinho de saudade

Ni disse...

João Sevivas:

Olá, poeta!
(Um dos grandes poetas que tenho a honra de conhecer!)
...

Sorriso

Nani disse...

... Mas as linhas foram cruzadas, Nina... Viveste-as... ontem, hoje, amanhã?!...

"E eu desejo apenas"... que bom... é sinal que existem ainda sonhos... deseja Ni, e assim será...

...

Ao abrir um ficheiro que tenho, com alguns texto e poemas deste cantinho, parei e li, tocou-me...


« (...)
- Os olhos mudam de cor de acordo com o que sentimos, Ni.

(…)
- Ni... promete-me que nunca te esqueces da magia da vida.
- Da magia? (de olhos muito abertos e voz sussurrada, como se um segredo me estivesse a ser revelado)
- Se algum dia te sentires só, sem saberes que caminho escolher, sem entenderes as pessoas e as palavras, os gestos... SOLTA. Deixa ir a mágoa. Como os cabelos... para que surjam andorinhas de asas brancas na tua vida...»

...

Ni... não te esqueças...
e sê feliz!!!

Catarina

Rui @t Blog disse...

Normalmente somos nós que nos vergamos ao destino ... outras acaba por ser o destino que se verga à nossa vontade.
Na verdade são duas e a mesma coisa.

ferreira disse...

Ni,
belas palavras.
A caminhada faz-se de mãos dadas, sim.
O amor resiste ao tempo e à distância.

Abraço


David