segunda-feira, setembro 03, 2007

CUMPLICIDADES



«(... ) Uma das coisas que mais o aproximava da mulher consistia precisamente em conseguir isso com ela sem necessidade de se vestir de frases, a capacidade de se entenderem num rápido soslaio e que nada tinha a ver com o conhecimento um do outro porque desde a primeira vez em que se encontraram fora assim, eram ambos então ainda muito novos e haviam-se quedado siderados com a estranha força oculta daquele milagre que com mais ninguém lhes sucedia, união tão perfeita e tão funda... (...)»


António Lobo Antunes in Memória de Elefante


...


E os meus olhos, mesmo sendo de outra cor, têm também a cor dos teus. E o mundo que eu não vi estava no teu olhar. E o mundo que eu vi estava em mim e tu soubeste-o. E tudo ficou em paz, nesta inquietação que nos leva sempre a tremer quando pensamos na pele do outro.

Tu sabes...

Sim, sabes. Embora o negues...
Ni*

17 comentários:

MANDALAS POEMAS disse...

Hola, desde Barranquilla, Colombia, te envío un caluroso saludo y mis felicitaciones por tu blog y en especial por su contenido. Te invito muy cordialmente a que visites el mio donde están consignados mis poemas los cuales puedes usar si los necesitas, solo te pido el credito para el blog y el autor. Espero tu visita y tus valiosos comentarios.

www.mandalaspoemas.blogspot.com

Un abrazo,


Víctor González Solano

Maria disse...

E como estou de acordo contigo! Como um toque de pele ou o simples pensamento do toque de pele nos arrepia e nos inquieta....

Obrigada po9r teres trazido, aqui, a Memória de Elefante do ALA...

Um abraço
e um sorriso

SILÊNCIO CULPADO disse...

O amor sem cumplicidades e companheirismo não é amor. Pode ser uma emoção muito forte que tudo arrasa à sua passagem mas só perdura se for capaz de se prolongar no outro, de o acrescentar e de o fazer sentir-se seguro.

Excelsior disse...

(...Complicado, quando os medos da Personalidade interagem de forma desarmoniosa com o Intuir...)

(...Palavras que se cortam...)

(...Quiçá, não deviam.)

...

Nos reflexos um do outro, tais pessoas, tais possíveis cumplicidades, podem alertar-nos para o que de incompleto, errado, a nossa Intuição pode ter, em relação a nós mesmos... Por mais poderosa e alinhada que ela até seja...

...E se essa pessoa, ao reflectir no Poder das palavras da Outra, ao questionar-se, àquilo que supostamente tanto "sabe" (e sabe nada, presunção!, constata...)

...perceber que é mesmo isso, que também pode tentar "dar", ao outro lado...?

...Limpar as (parcas) névoas que ainda sim vê, na Visão de numa Alma tão cristalina...?

...Quiçá, Propósito Principal, de reencontros... Ajudar a abrir ao outro, leques, e percepções, e auto-consciências, fechadas de forma auto-imposta...

(...Divago...)

(...Ou, daí, não.)

*

Ni disse...

MANDALAS POEMAS:

Gracias por tu visita, por tus saludos y tus palabras!
Me gusta mucho tu blog! Tienes excelenteS fotos en combinación con bellísimos poemas, intensos,... con grandes mensajes.

Saludos y un abrazo desde Lisboa.
Nos leemos?

Ni*

Ni disse...

MARIA...
...
Doce Maria... que tão bem entendes o rendilhado da minha essência...
...
Sorrio-te.
E sei que 'lês' tudo o que este meu sorriso contém...

Abraço de vento suave... com sabor a mar...

Ni*

Ni disse...

SILÊNCIO CULPADO:

A cumplicidade é o elo mais forte no AMOR. Para mim, é.

Cumplicidade do sorriso adivinhado... da palavra que é apreendida sem ser dita, do gesto no exacto momento em que o/a outro/a sentiu que era esse toque de asa que lhe faltava... para o ar abraçar por dentro... lá... onde mais ninguém ainda tinha chegado. Ao 'secretum'... à verdade total. À nudez.... não corpórea... essa, tão banalizada... mas nudez de vestes brancas, para celebrar o dia nascente.... a casa reencontrada, a pátria da alma... de cada célula... de cada centelha de vida.

Cumplicidade na intimidade... onde o tudo e o nada, o sempre e o nunca... se entendem... se sabem... se recriam.... renascendo... sorriso.

...

(Doeu escrever isto...)

Ni*

Ni disse...

EXCELSIOR:

Divagas?
Não creio....
...
Foste fundo e sem medo das palavras! Libertaste-as...

Sorrio-te.

Abraço de Luz azul

Ni*

Excelsior disse...

Ni...

...Não fui nem um décimo tão fundo quanto o meu Sentir me ordenava...

...Talvez, não seja este o local.

Haverá tempo.

E um outro espaço.

(...Interligados...)

*sorriso*

Enfim...

Quiçá possa ter visto a "chave" do fim de dores desnecessárias. E talvez eu saiba descrevê-la de forma... completa. Total.

(Ou então, talvez eu esteja meramente a ser presunçoso.)

Abraço de Luz, em Luz...

*

Nani disse...

Nina...

(este comentário nem devia ser feito, depois do susto de ontem! Aiai já tava a imaginar-me com a outra e o seu vinhito tinto!)

Mando um sorriso... sei que o receberia. Essa cumplicidade de quem recebe tudo, sem pedir nada. De quem lê, e é lido através do olhar...

O meu abraço de afecto... azul.

Nani

Cleopatra disse...

«(... ) Uma das coisas que mais o aproximava da mulher consistia precisamente em conseguir isso com ela sem necessidade de se vestir de frases, a capacidade de se entenderem num rápido soslaio e que nada tinha a ver com o conhecimento um do outro porque desde a primeira vez em que se encontraram fora assim, eram ambos então ainda muito novos e haviam-se quedado siderados com a estranha força oculta daquele milagre que com mais ninguém lhes sucedia, união tão perfeita e tão funda... (...)»


António Lobo Antunes in Memória de Elefante


E é tão bom qdo é assim.

Ni disse...

NANI:

A 1ª parte do teu comentário... sem comentários! Ninguém o vai entender... gargalhada!

Susto???!!! (Cara angelical....)
Eu sou uma prof que não assusta os alunos!!! lol
(Se não leste as Obras que eu 'sugeri' para ler durante as férias... tás tramada! )... :)
...

Gosto de ti, garota!
Sorriso

Ni*... a prof que 'assusta'.... esta é para rir!

Ni disse...

CLEOPATRA:

É, Cleo... é muito bom. Aliás, só faz sentido quando é assim.

Beijito de saudades.

(Também apanhaste chuvadas 'daquelas'? Em Monserrat a subida foi complicada... San Sebastian... bela praia.... chuva a cântaros... em França.... choveuuuuuuuu...)

eu que sou eu disse...

dou mh mão a palmatória........
pra que palavras?



eu conheço olhar e depois te explico um em especial, mas só na mansão........

eu disse...

AH! acreditas agora em eternidade?

Ni disse...

Caro/a 'EU', ou seja 'TU' (embora não saiba QUEM):

Sempre acreditei...

(Seria para MIM a pergunta?!)

Ni*

Analuka disse...

Bonito blog! Beijos pintados e um novo ano pleno de luz, arte, poesia.