domingo, agosto 26, 2007

HOJE...



Há, em cada palavra, um fio de luz que contém portas entreabertas... um convite, um 'vem', a quem não as teme, às palavras. Há, em cada palavra, um caminho de laranjeiras frutificadas, com aroma a folhas ainda puras, ainda felizes, que convidam ao prazer de se recriarem mais palavras. Há, em cada palavra, sementes de futuro e raízes azuis, que podem ser de ar, feito abraço de vento, ou de água, temporariamente gota doce em língua ávida de outra boca.

Mas hoje sinto-me apenas uma ausência de palavra.

Não um silêncio. Porque o silêncio tem a proximidade e a distância, a saudade e o esquecimento. O silêncio é o eco da palavra... o espelho do inversamente dito. Mas É.

Hoje...

Preciso de sentido.

De um sentido.

...

Ni*

6 comentários:

Alquimia Do Amor disse...

Bom dia Nina!

Espero que aceite o convite que lhe fiz num dos seus poemas de Abril.
Beijos

Alquimia

Para qq duvida entre em contacto comigo atraves do mail.

Maria disse...

Não posso dar-te um sentido..
.. mas deixo-te um sorriso...

E um beijo, Ni

SILÊNCIO CULPADO disse...

Há uma magia em tudo o que dizes e em tudo que escolhes. Uma beleza suave que nos faz acreditar na vida.
As palavras podem trazer tudo isso se forem sinceras. Mas se há coisas que eu tema na vida são exactamente as palavras. É que a distância entre o paraíso e o inferno é tão pequena!....

Excelsior disse...

...E que, num raiar de uma manhã... ou num abraço de uma noite amena... a ausencia de palavras te tenha sido preenchida com um sentido, que devolva propósito a alguém cuja existência grita, na forma de uma melodia doce e aveludada, isso mesmo...

...um imenso e reluzente Propósito...

*mão no peito, prece em gratidão, imersa num puro "querer bem"*

Pecadormeconfesso disse...

EScreves tão bem. Com a alma, como diz a Cleopatra.

mixtu disse...

buenas tardes que tal?
buscar un sentido? es facile...

busca el norte... playas (Sanremo)marisco en la Galicia, tierra de mi padre...
el sur... Allgarbe... playas (ojos de auga) e marisco, tierra de mi madre...

es muy facile, po allá las palabras son poemas...

abrazo, en busca de un sentido...