sábado, março 31, 2007

TEMPESTADES


(Resposta a um desafio da Cleópatra)





"Quem tem medo de tempestades acaba a rastejar"



...

Há tempestades nos olhos de quem ama.

E bonanças. É de contradições que é feito o amor. E de desafios. E de ousadias. Não de medos!

A minha voz desenha-se, solitária, perante o teu silêncio e os teus olhos que se desviam, na fuga de quem receia a palavra que se adivinha.
Há algo líquido no tempo e eu não o prendo. Saboreio-o. Tem travo a mar e a alecrim, a momentos roubados ao nunca, a rotas de ida com destino ao sempre, ainda que não saiba 'onde' nem 'quando'. Ainda que saiba 'porquê'... ainda que saiba com 'quem' queria...

Há tempestades nos olhos de quem ama.

Feitas de memórias, de saberes, de saudades e de vontades. Feitas de presente, onde tudo acontece. Ou não. E é neste não acontecer que nos perdemos.

Agora que chegaste aos meus olhos não t(r)emas!

Quem tem medo de tempestades acaba a rastejar...

2 comentários:

Cleopatra disse...

«Sentes-me? Nega o medo. Embarca nos meus olhos."

Sentes-me? Essa fingida coragem que dizes ter. Essa infinita tempestade que finges não temer.

Nega o medo... nega o teu medo e enfrenta a coragem dos meus olhos.
Pouco me importa que me mintas. Pouco me importa que as tempestades para ti não causem dano..
Não mintas amor que te afundas com ela.
Enfrenta a a viagem nos meus olhos e naufraga na verdade que queres negar.
Que a tempestade vai passar!...
Que não tens medo de a enfrentar!...

Vais sucumbir amor..
Na tempestade dos meus olhos, na tormenta do teu sentir.
Quem tem medo de tempestades acaba a rastejar..
Não é dessas que tens medo.
Dessas, tu nunca tiveste medo.
Toda a Vida as enfrentaste, as superaste.
É no olho da tempestade que se vê a fibra de cada um.
E nessas, tu nunca sucumbiste.

É na tempestade dos meus olhos que acabarás por sucumbir, é em ti mesmo e no teu sentir que naufragarás sózinho....

"Dou-me no sal das palavras que te beijam. Sentes-me? Nega o medo. "

Cleopatra

Em resposta a um texto do Anónimo respondo ao meu próprio desafio!

Filipe Oliveira disse...

Há tempestades nos olhos de quem ama...
Alma limpa, coração entristecido.
Pensamento leve, corpo pesado.
Vem chuva lavar a minha alma.