domingo, fevereiro 18, 2007

RESPOSTA A UM DESAFIO TEXTUAL






O desafio, aqui:






...





Há na luz da manhã a promessa dos dias felizes.

As tempestades são-nos exteriores e passadas. A noite foi intensamente desenhada na pele, nas carícias que nascem no afecto e se soltam, com alma própria, dos dedos. Não comandamos os sentimentos, dizes-me. Ainda bem, sorrio-te eu. E é esse sorriso meu que te abraça, neste momento do dia nascente, em que nós nascemos também. Sei que quando abrir os olhos estarei a aceitar o pacto de mais um dia, que só poderá ser feliz porque ao teu lado. E é esse dia a maior oferta que nos daremos. Os meus cabelos longos, escuros, traçam linhas bailadas sobre o teu braço e o teu peito, em cascatas de promessas de seda. Sim, cumpro as promessas. Sim, ganho as apostas ainda que as perca. É quem não receia o amor que vence as batalhas, sabias? Adio o acordar. Permaneço neste conforto de (te) sentir apenas, sem que saibas que ouço a música que a tua vontade de parar o tempo me conta e canta. Há algo de divinamente humano e puro nesse teu enlaço, nesse estreitar-me, como se os meus poros respirassem os teus. Vou acordar, amor. O mar depositou em nós a esperança das algas verdes e das marés cheias. A areia estende-se em braços que procuram o calor. O nosso. É urgente que o saibas. Será o meu sorriso que to dirá....


...


Há no vagar dos passos sobre a areia a sabedoria das gentes do mar. Aprenderam com as luas e as marés o som do tempo. E nos olhos transportam a paciência do sal, que espera que a água se desenhe nuvem para só então se mostrar. A tua mão na minha nega o medo. E eu fecho os olhos, no abandono confiante do sentir e dos sentidos, como se o caminho só pudesse ser este, ao teu lado. Há uma idade, após a idade das certezas, em que tudo arriscamos. Podemos não saber para onde seguir, mas sabemos com quem queremos ir. Juntos, meu amor!


...







Ni*

3 comentários:

Nani disse...

Nina…

Parei por completo ao ler o que escreves. Parou tudo. Hipnotizaste-me!?

Sorri... e continuo a sorrir… talvez porque te li e leio.
Não só aqui, mas nos nesse olhar que tudo transporta… no teu abraço… e nesse cabelo que gosto de mexer.


"As tempestades são-nos exteriores e passadas."

… Silencio a voz de alma que quer falar…

Abraço carinhoso

Catarina

Amaral disse...

Tens um dom especial para transformar sentimentos em palavras e dar às palavras emoções especiais...
Dos teus dedos e da tua inspiração natural nasce sempre algo de novo e adorável de se ler!...

Rui @t Blog disse...

Até amando se ensina.
Um poema lindo, de amor. Muito bonito mesmo.