sábado, novembro 11, 2006

AINDA TÊM SONHOS, OS MEUS OLHOS...




O que sei, já alguém o sabia antes de mim.
Insensatez, acreditar que não é assim.
Exclusivamente meu é apenas este coração!
Que insiste, e recusa ser escravo das sombras,
porque transporta memórias
do pó da estrela de onde veio.
Afecto feito emoção.
E que me grita, no silêncio inquebrável do seu eco,
que a vida tem dois sentidos invertidos, mas nunca proibidos.
E eu estou no meio deles.
Como quem é apanhada, de surpresa, por correntes contrárias.
Fogos cruzados de deusas adversárias.

E os meus olhos,
estes barcos sem cais,
que atravessam a chuva, temporais,
com mastros quebrados na passagem de tantos cabos...
Não naufragam...
Riscam no horizonte o limite da luz,
onde se escondem todas as asas de pássaros feridos,
mas não vencidos!
Disfarçados de luas brancas...
soltando brilho em vez de gemidos.

Ainda têm sonhos, os meus olhos...


Nina

Lisboa, numa madrugada... num momento...




2 comentários:

Nani disse...

Nina

Lembro-me deste momentUM do passado… mas ainda presente.

Vi estas palavras nas primeiras vezes que visitei este cantinho… num momento difícil para ti, mas que nos aproximou.

E esses olhos (lindos!!!) que atravessam temporais nesses cabos, onde já houveram tantos Adamastores… ainda transportam sonhos.

Sonhos… que eu desejo que se concretizem neste novo ano…e que deixem para sempre o mesmo brilho no teu olhar.

Abraço eterno

Catarina

Desassossego disse...

Sonhos que se concretizem, que se partilhem... ainda bem...
Beijo doce.