sábado, julho 19, 2008

ROSAS, ASAS, CANELA E VERDADE...

click to comment






A cidade está calma...

A maioria dos habitantes de Lisboa procurou o abraço do ar do mar... onde o respirar é mais fluido e o sol não agride, porque nos lambe a pele com a suavidade das algas...

Os exames para corrigir olham-me aqui na secretária. Antes de mergulhar no trabalho com a determinação que me caracteriza... lembrei-me desta canção. Ouvi-a uma e outra vez. Mordi o lábio, gesto que trouxe da infância quando as palavras me sabem a pouco ou quando tropeçam na emoção do que gostaria de dizer, mas não digo. Não posso. E o profundo, mas brevíssimo momento de tristeza dissipa-se num inspirar lento... deste ar do meu lar, mistura aromática de rosas, asas, canela e verdade... e num expirar, abrindo os olhos e permitindo-me o sorriso. Ainda que ninguém o saiba e o veja.

Partilho aqui a canção...

Ni*











"My Love"

Please, come and find me, my love
I'm ready now, to come home
Please, come and find me, my love
Let's leave this place, let's leave no trace

Can you hear me, my love, I'm shouting in the wind,
Can you hear me
Can you see me, my love, I'm drawing in the sand,
Can you see me
I hope that I'm still with you, as you are with me
You always will be

Please, come and find me, my love
I'm ready now, to come home
Please, come and find me, my love
Let's leave this place, let's leave no trace

Can you feel me, my love, I'm hurting so bad
Can you feel it
Can tell you about my thoughts, I wish that
You were here
Do you know it
The time that I've had, don't need anymore
You're the one I wait for

Please, come and find me, my love
I'm ready now, to come home
Please, come and find me, my love
Let's leave this place, let's leave no trace

Please, come and find me, my love
I'm ready now, to come home
Please, come and find me, my love
Let's leave this place, let's leave no trace

5 comentários:

Cleopatra disse...

Ai NI , hoje não estou para aqui virada NADA!
E bolas! Deixei o gato escondido com o rabo de fora!!

Ni disse...

:D
Gargalhada...

Tu és adorável....

Deixa lá o gato com o rabo de fora... a inocência faz parte do coração dos puros... :)

Fico contente por ti... por andares por locais tão belos...

Jinhos

Excelsior disse...

Ni...

*sorriso terno*

...ninguém o soube, mas tu mostraste-lo aqui... um Sorrir Azul, que delineia um pouco do vulto da Mulher que és.

Apreciei, muito, o relato da determinação e da responsabilidade aqui demonstradas. Nunca numa negação da sensibilidade da condição humana. É normal, sentir tristeza por coisas como a privação de momentos de libertação e descanso... que outros, podem ter.

E nós não.

Mas onde está a força, o valor, não é no não sentir destas coisas. É no seguir em frente, apesar de e após, a constatação de tais estados... tão justificados.

Teria amado, saber-te solta este fim de semana, passeando, em partilha, por cidades e mares, por verdes e por aragens... na companhia daqueles que tanto te amam.

Mas exactamente porque determinada, no abraçar da responsabilidade da qual nunca te escudas... o que nestes dias, não te foi possível...

...noutros que se seguem, serão mais e melhores, na forma das situações que te serão ofertadas...

...porque merecidas. E porque a vida, não devolve só mágoas, raivas, rancores e ressentimentos.

Também devolve afectos, carinhos, alegrias, momentos únicos, de Amor, Alegria e LUZ... a quem, numa base diária... constante... ininterrupta e quase estóica... os propicia a outros...

...de uma forma tão plena, tão bonita.

Tão bonita.

:)

Abraço de LIBERDADE, de Felicidade anunciada... e incontornável... que vem no embalo do Vento... no horizonte do Amanhã.

PS: ...esta música... que conheço... é de uma suavidade de seda, no desejo do amenizar de dores... e na confiança que coloca, num possível destinatário de tão melodioso e doce apelo...

...Consigo sentir empatia, com o desejo expresso nesta letra.

Por demais.

Rui @t Blog disse...

Gosto imenso do texto. Lê-se e "vê-se" ao som de uma igual bela canção que ora por momentos me serve também de fundo enquanto trabalho.
Parabéns e obrigado.

Om-Lumen disse...

Ao escutar uma vibração sonora, a possibilidade de viajar em ondas de amor além da linha do horizonte é o meu momento de inexistência densa. O meu estar/ser toma um lugar de presença que um silêncio abençoa. Serena é a voz que liberta pulsares cristalinos que tecem estações luminares amplificadoras do amor em viagem.

No nosso continuum movimento de regresso ao Seio da Luz sabemos por inerência primordial que somos um momentus UM.

Partilho um abraço de luz.

Om Lumen