sexta-feira, outubro 13, 2006

BREVIDADE ... Breve idade


(...)

Nasci hoje de madrugada
vivi a minha infância esta manhã
e cerca do meio dia
já passava a minha adolescência.
E não é que me assuste
que o tempo passe por mim tão depressa.
Só me inquieta um pouco pensar
que talvez amanhã
eu seja
demasiado velha
para fazer o que deixei pendente.




3 comentários:

Angela disse...

O tempo passa é nós nem nos apercebemos. Vivemos como se fôssemos eternos, como se o amanhã fosse garantido.

O teu poema reflecte muito bem a passagem do tempo.

Gostei muito.

Beijinhos.

Nani disse...

Nina,

Então mãos à obra... prepara o amanhã, vamos fazer com tudo o que esteja pendente deixe de estar, vive a vida... os momentUS... aqueles que são eternos...

Um abraço de carinho
com um presente no meu cantinho...

Nani

Miguel G Reis disse...

Gostei muito do teu poema, simples mas tocante. Pesas bem as palavras.